Anos 40 - 50

Anos 40 - 50

Estamos em 1946. Nos laboratórios na “via Rattazzi” sai o primeiro produto Ferrero®: a “Pasta Gianduja” ou “Giandujot”, feita de avelãs, envolta em papel de alumínio, que se corta às fatias e se unta no pão, um produto bom e acessível. A “Pasta Gianduja” tem um sucesso inesperado.

O laboratório na “via Rattazzi” revela-se pequeno e a produção é transferida então para uma sede mais espaçosa na “via Vivaro”. A 14 de Maio de 1946 constitui-se oficialmente perante a Câmara de Comércio a indústria Ferrero®.

Nos anos 50 o nome Ferrero® chega a todas as regiões italianas, graças a uma frota de 200 camionetas, que em poucos anos ascendeu a um milhar. No entanto, os empregados são já quase mil e a produção de chocolate alcança as 380 toneladas anuais.

Alba alarga os horizontes: Europa, Alemanha. Em Stadtallendorf, a 150 km de Frankfurt, nasce Ferrero GmbH, o primeiro estabelecimento no estrangeiro, que será durante muitos anos o único exemplo internacional do sector da confeitaria.

Dá os primeiros passos com 5 empregados, alcançando os 60 seis meses depois, entre italianos e alemães. Igualmente, começa apenas com um produto, a CREMALBA, à qual se segue em 1956 a produção de Mon Chéri. O êxito deste último é extraordinário.

Em 1957, a gestão da Ferrero® passa para as mãos de Michele Ferrero que manifesta a sua vontade de explorar novas trajectórias e de experimentar continuamente. A inovação reflecte-se na criação de produtos novos e na utilização de fórmulas promocionais absolutamente originais para aquela época.

Anos 60 - 70

Anos 60 - 70

A Ferrero® continua a sua expansão no Velho Continente. França torna-se na segunda sede fora das fronteiras italianas. Mais tarde, somar-se-ão a esta, Bélgica, Holanda, Luxemburgo, Dinamarca, Suécia, Suíça e Grã-Bretanha, onde a Ferrero® afirma a sua presença.

Em 1964, nasce Nutella®, o creme mais conhecido no mundo, um produto ainda hoje inimitável e que se converteu num fenómeno estudado inclusive por sociólogos.

Mães mais atentas à alimentação dos seus filhos, crianças e jovens sempre mais exigentes. Em 1968, Kinder® Chocolate, a tablete de chocolate recheada de leite, nasce para satisfazer estas duas necessidades: “mais leite e menos cacau” converte-se no slogan da grande família de produtos que pertencem à marca KINDER®.

Em 1969, a Ferrero® atravessa o Atlântico e chega aos Estados Unidos, abrindo um escritório em Nova Iorque.

Juntamente com o nascimento de novos produtos e com o crescimento dos mercados, a Ferrero® efectua uma modernização das suas linhas produtivas, começando pelo estabelecimento de Alba.

Em 1974, nasce Kinder® Surpresa®, o original e único ovo de chocolate com surpresa, elaborado com o bom chocolate KINDER®.

Prossegue o desenvolvimento no estrangeiro; depois das sedes europeias na Áustria e na Irlanda, onde, além disso se encontra uma fábrica, as sociedades Ferrero® abrem em Porto Rico, Equador e estendem-se para a Ásia, em Hong Kong, Japão e Austrália, onde se estreia uma nova fábrica.


Anos 80 - 90

Anos 80 - 90

É em 1982 que nasce Ferrero Rocher e em poucos anos converte-se na especialidade favorita para milhões de pessoas.

Em 1988, estreia-se a Ferrero Ibérica S.A., com a sua sede principal em El Prat de Llobregat (Barcelona, Espanha) e uma sucursal em Lisboa, Portugal.

Durante os anos 90, depois da queda do muro de Berlim, inauguram-se novas sedes comerciais na Hungria, República Checa, Polónia e Rússia e também na América Latina (México, Argentina, Brasil). São os anos em que o Grupo Ferrero continua a criar novos produtos de sucesso, como Kinder Bueno, Kinder Sandwich de Leite, Kinder Pinguí e Raffaello.

Em 1997, entra na empresa uma nova geração: Pietro e Giovanni, filhos de Michele, são Conselheiros Delegados, com responsabilidade conjunta na gestão da empresa.

Os dias de hoje

Os dias de hoje

O Grupo Ferrero aprova o seu balanço consolidado a 31 de agosto de 2015 com uma faturação de 9500 milhões de euros

A Ferrero Internacional S.A., empresa-mãe do Grupo Ferrero, aprovou o balanço consolidado do Grupo no encerramento do exercício, a 31 de agosto de 2015. Nessa data, o grupo era constituído por 78 empresas consolidadas, com 22 centros de produção, 3 dos quais pertencem à categoria de Empresas Sociais, e cujos produtos estão atualmente presentes em 160 países.

O Grupo, cujo diretor-geral é Giovanni Ferrero, encerrou o exercício financeiro com um volume de negócio consolidado de 9542 milhões de euros, o que se traduz num aumento de 13,4% em relação ao período anterior, que encerrou com um total de 8412 milhões de euros.

Apesar das dificuldades existentes a nível internacional, a empresa cresceu graças a uma extraordinário dinamismo na abertura de novos mercados. As vendas de produtos Ferrero equipararam-se, e inclusive aumentaram, relativamente a anos anteriores na Ásia, Médio Oriente, Estados Unidos, Canadá, México e Austrália.

Os resultados obtidos nos seus principais mercados, Grã-Bretanha, Polónia e Alemanha, foram excelentes. Os principais mercados latinos, tanto na Europa como na América do Sul, experimentaram uma grande recuperação com a exceção da Itália, que se manteve estável. O mercado russo viu-se gravemente afetado pela desvalorização do rublo.

Por produtos, destacam-se as vendas de Kinder Joy, Nutella, Ferrero Rocher, Tic Tac e Kinder Surpresa.
Os lucros antes de impostos do Grupo alcançaram os 889 milhões de euros (-2% relativamente ao ano anterior). Apesar de os resultados de exploração do Grupo terem apresentado uma ligeira melhoria, a flutuação na taxa de câmbio da moeda repercutiu-se significativamente no resultado financeiro do Grupo.

Os novos investimentos realizados durante este período alcançaram os 646 milhões de euros, dos quais 557 milhões (5,8% das vendas) se destinaram a reforçar a atividade industrial e produtiva do Grupo na Itália, Alemanha, Polónia, Índia, Brasil e especialmente na China, país aonde a empresa destinou praticamente a metade deste investimento. A Ferrero garantiu a sua presença no mercado asiático com a criação de uma filial na cidade Hangzhou e com a abertura de um centro de produção em Xiaoshan.

Por outro lado, o Grupo Ferrero continua a reforçar a sua presença no mercado da avelã com o objetivo de garantir e melhorar ainda mais a qualidade de uma matéria-prima vital que proporciona um sabor único a muitos dos seus populares produtos, tais como Nutella, Ferrero Rocher e Kinder Bueno. Em consonância com este objetivo, o Grupo Ferrero concluiu a compra de 100% das ações do Oltan Group, líder mundial na recoleção, manipulação e distribuição de avelãs, com uma faturação anual superior a 500 milhões de dólares.

Além disso, em 2015, o Grupo finalizou através de uma OPA a compra da Thorntons Plc, uma importante empresa britânica do setor do chocolate fundada em 1911 com uma faturação anual de cerca de 300 milhões de euros.

O quadro médio do Grupo em 2014/15 contava com 25 784 trabalhadores, o que se traduz num aumento relativamente aos 24 836 empregados de 2013/14. A 31 de agosto de 2015, o Grupo contava com 33 219 trabalhadores (incluindo as empresas adquiridas), um aumento notável relativamente ao período anterior (27 457). Se incluirmos também os colaboradores externos, o total alcança os 40 721 empregados.

A Ferrero Ibérica fatura mais 8%
A Ferrero Ibérica, filial do Grupo Ferrero em Espanha e Portugal, fechou o seu último exercício com umas vendas de 19 000 toneladas de produto e um volume de negócio consolidado de 208 milhões de euros, mais 8% do que no exercício anterior, em que registou 193 milhões em vendas. Cerca de 80% corresponde ao mercado em Espanha e o resto a Portugal.